Janeiro 29, 2019

Euroceticismo

O QUE É O EUROCETICISMO?
O Euroceticismo é normalmente o criticismo da União Europeia (UE) e da integração europeia. Oscila entre aqueles que se opõem às instituições e às políticas da UE e que procuram a reforma (“Euroceticismo leve”) e aqueles que se opõe totalmente à adesão da UE e vêem-na como irreformável (“Euroceticismo pesado” ou “anti sindicalismo europeu”/”anti-UEismo”). O contrário de Euroceticismo é conhecido como Europeísmo (ou Sindicalismo Europeu).

O EUROCETICISMO É MAU?
Ser Eurocético ou ser crítico com o que a UE faz não é necessariamente mau se o criticismo for justo, objetivo e equilibrado. O problema vem quando o Euroceticismo é baseado em notícias falsas, informação tendenciosa e uso indevido de informação. É, portanto, crucial ser cético e crítico para com as notícias e informação que lemos todos os dias nos média.

SER EUROCÉTICO NÃO É NECESSARIAMENTE MAU
http://www.europarl.europa.eu/at-your-service/en/be-heard/eurobarometer/eurobarometer-2018-democracy-on-the-move

http://www.europarl.europa.eu/news/en/headlines/eu-affairs/20180522STO04020/eurobarometer-survey-highest-support-for-the-eu-in-35-years

Dois terços dos europeus acreditam que o seu país tem beneficiado por ser um membro da UE, a percentagem mais elevada desde 1983 e um aumento de três por cento desde o outono.
O estudo, que foi publicado exatamente um ano antes das eleições europeias acontecerem em 2019, revela:

  • também que metade dos europeus está interessado nas eleições na UE e quase um terço sabe a data das eleições no próximo ano (23-26 de maio de 2019)
  • O processo de candidato de primeira linha – que é também conhecido por spitzenkandidaten – é visto como um passo positivo: 63% diz que cria mais transparência, mas quase três quartos dos entrevistados quer que este processo seja acompanhado por um debate real sobre os problemas europeus e o futuro da EU.

 

  • Fake News (Notícias Falsas):

“Fake News” não eram um termo que muitas pessoas usavam antes de 2015, mas agora aparenta ser uma das maiores ameaças à democracia.

Por favor consulte o link que mostra um exemplo de como as tácticas de fake news do eurodeputado Nigel Farage do Reino Unido durante a campanha “Brexit Leave” pode ter um grande impacto. Este texto foi escrito a 8 de fev de 2019.

https://www.theguardian.com/politics/2016/jun/16/nigel-farage-defends-ukip-breaking-point-poster-queue-of-migrants#img-1

  • Comunicação Tendenciosa:

Algumas organizações dos média mostram claramente a sua posição política e, portanto, o público pode escolher quais opiniões ouvir.

No entanto, as Emissoras Nacionais têm a obrigação de divulgar as notícias de forma não tendenciosa e objetiva.

Se esta obrigação não for seguida, então existe um risco que a divulgação tendenciosa seja confundida pelos membros do público como sendo objetiva.

A editora política da BBC, Laura Kuenssberg, tem recebido criticismo considerável pela sua divulgação tendenciosa para a BBC. Este cabeçalho do website do Daily Express foi PUBLICADO: ter, 19 jul, 2018

“Laura Kuenssberg da BBC apresentou uma analogia hilariante que pôs um membro proeminente do Parlamento a favor do Brexit às gargalhadas após ter escarnecido quem está contra o Brexit com uma comparação mordaz a uma personagem icónica televisa”.

Experimentámos pesquisar no motor de busca “Google” a questão, “O que são Euromitos?”

E aqui estão dois exemplos da primeira página do Google

1). O website da BBC publicou o seguinte artigo a uma sexta feira, 23 de março de 2007, 13:43 GMT

http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/6481969.stm

“Guia para os melhores euromitos:

O público Britânico adora uma moda europeia – uma história sobre mudanças à nossa maneira tradicional de fazer as coisas, normalmente, sonhada pelos “loucos burocratas de Bruxelas” ou pelos “eurocratas intrometidos”.

As histórias não têm de ser verdadeiras para terem elevada circulação, ainda que, normalmente, haja pelo menos uma ponta de verdade.

2). Wikipédia: O termo Euromito é usado para se referir a histórias exageradas ou inventadas sobre a União Europeia e as atividades das suas instituições, tal como, alegadamente, a legislação absurda da UE. [1]

Por outro lado, o mesmo termo tem sido, alegadamente, aplicado pelos Eurocéticos em reivindicações enganosas ou exageradas pela Comissão Europeia, e alguns afirmam que o termo (no sentido prévio) está a ser aplicado de forma errónea a histórias verdadeiras”.

Nós perguntávamos, qual dos dois websites deu uma explicação não tendenciosa e objetiva à questão perguntada?